quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Avanços na tecnologia, retrocesso na sociedade

Avançámos muito em relação ao que éramos, certo? Será?

É verdade que há uns quantos anos atrás não tínhamos Internet, nem mesmo computadores. Mas parece que a única coisa que evoluiu foi a tecnologia, e nós dependemos dela mais do que nunca! Alguém acha que consegue viver dois dias sem telemóvel, sem Internet, basicamente sem qualquer contacto com tecnologia, mesmo sem televisão? E enquanto a tecnologia evoluiu e nós nos tornámos mais e mais dependentes dela, a nossa sociedade regrediu.

Justifica-se que existindo capacidade de criar carros eléctricos, que não poluem absolutamente nada, não se invista com grandes quantidades de dinheiro para que essa tecnologia se possa aplicar em todos os carros, e de maneira mais eficiente? Esse é o tipo de tecnologia que merece atenção da nossa parte.

Se não se aplicar dinheiro na procura de alternativas para os combustíveis fósseis, em breve eles vão esgotar-se, e os carros híbridos são apenas uma solução provisória para quando isso acontecer. Tenho a certeza absoluta que os engenheiros, e os cientistas de hoje em dia conseguem criar um carro eléctrico com níveis de rendimento muito altos (comparados com os carros eléctricos existentes), e uma autonomia enorme, mas não me parece que estejam a ser apoiados e financiados devidamente.

E este é apenas um dos muitos exemplos em que a tecnologia e a capacidade existem, mas ao estarmos entregues a uma sociedade tão retrógrada, não as conseguimos pôr em prática mesmo que sejam decisivas em relação à nossa vida no planeta Terra. É necessário ter visão, mas não só para o presente, precisamos de visão principalmente para o nosso futuro.

6 comentários:

  1. Não se trata duma sociedade retrógada, trata-se acima de tudo duma sociedade pouco informada e que é regida por uma "pandilha" que só tem olhos para o lucro, independentemente do mal que causam ao planeta.
    São no fundo, burros, mas burros que comandam os nossos destinos, infelizmente.

    Enquanto houver uma gota de petróleo, não me parece que venhamos a ter carros electricos como dizes, e mais uma vez, infelizmente !

    ResponderEliminar
  2. Concordo plenamente, somos controlados por um conjunto de burros que só têm olhos para o dinheiro, e que acabam por não apostar em coisas que não dão lucro, mas que podem ajudar toda a humanidade.

    ResponderEliminar
  3. Claro que com tudo o que já se conquistou a nível tecnológico, não faz sentido ainda usarmos tanto petróleo e termos artigos cuja vida útil é desastrosamente curta (nos tempos da minha avó, e eu até já sou bastante crescida, um frigorífico durava para lá da vida dela).
    É inacreditável as mentiras em que vivemos e mais inacreditável ainda, é a grande parte de nós que não soma 2+2...
    Que anestesia que se sofre desde a infância e de repente, percebemos (dependendo da curiosidade e interesses de cada um) que 2+2 = 4. E tudo em nome da fluidez do mercado (exploração/saque do planeta).
    E sim, a nossa alma não evoluiu com a tecnologia, porque se tivesse evoluído já não teríamos guerras, nem pobreza e não seríamos tão egoístas.

    "Primeiro levaram os negros,
    mas não me importei com isso,
    eu não era negro.
    Em seguida levaram alguns operários,
    mas não me importei com isso,
    eu também não era operário.
    Depois prenderam os miseráveis,
    mas não me importei com isso,
    porque eu não sou miserável.
    depois agarraram uns desempregados,
    mas como tenho o meu emprego,
    também não me importei.
    Agora estão a levar-me,
    mas já é tarde,
    porque ninguém também se importa comigo."

    Bertold Bretch (1898-1956)

    "O incrível, é que após tantos anos, com tanta tecnologia que se conquistou, ainda nos encontremos tão desamparados, inertes e submetidos aos caprichos da ruína moral dos poderes governantes, que vampirizam o erário, aniquilam instituições e deixam aos cidadãos os ossos roídos e o direito ao silêncio: porque a palavra, há muito se tornou inútil.
    Até quando???"
    Podem dizer que é exagero, mas experimentem se por na pele de um cidadão africano, chinês, etc, etc...
    Peço desculpa pelo peso, mas hoje foi um dia comovido, pela falta de liberdade de expressão nas ruas e não só.

    ResponderEliminar
  4. Olá Miguel

    A energia fácil e barata do petróleo e a tecnologia fizeram mesmo que o Homem "descolasse" da realidade, da natureza e se julgue algo à parte, superior. Erro crasso, que as próximas gerações infelizmente pagarão muito caro.
    Não é só preciso mudar as fontes de energia para renováveis, pois para garantirmos a independência do petróleo, precisamos de mudar de vida: consumir muito menos energia (e não só), cultivar a terra, reaprender técnicas antigas e aperfeiçoá-las com conhecimentos mais recentes.
    Por isso venho falando na permacultura, na Transição, na mudança de estilo de vida.
    Os governos e os políticos já demonstraram a total incapacidade de compreender o problema da sociedade actual ou de o querer resolver.

    Hoje saíram mais duas portarias sobre mobilidade eléctrica. São pequenos passos, de caracol, para podermos ter carros eléctricos daqui a poucos anos. Mas os carros eléctricos, apesar de bem melhores para o ambiente que os a gasóleo ou gasolina, não são inócuos: as baterias são um problema ambiental que não vai ser fácil...
    Era preciso outra cultura: trabalho e morada perto, apostar nos transportes públicos, nas ferrovias, promover o comércio local, promover o uso da bicicleta como transporte, e não apenas como desporto.... tantas coisas que se podiam fazer ...

    Fossem 10% dos adultos tão informados como tu, e estaríamos bem melhor!

    Obrigada pelo "post" e um abraço :)

    ResponderEliminar
  5. e espero que tu a construas, essa visão!
    É bom regressar aqui e ver que estás em forma. Um bom ano lectivo para ti!
    Abraço

    zoltrix ;-)

    ResponderEliminar
  6. e aqui vai um outro abraço e votos de sucessos para este ano lectivo!!

    ResponderEliminar

Aqui todos podem comentar, mas com educação, cívismo, e sem discriminação.