quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Avanços na tecnologia, retrocesso na sociedade

Avançámos muito em relação ao que éramos, certo? Será?

É verdade que há uns quantos anos atrás não tínhamos Internet, nem mesmo computadores. Mas parece que a única coisa que evoluiu foi a tecnologia, e nós dependemos dela mais do que nunca! Alguém acha que consegue viver dois dias sem telemóvel, sem Internet, basicamente sem qualquer contacto com tecnologia, mesmo sem televisão? E enquanto a tecnologia evoluiu e nós nos tornámos mais e mais dependentes dela, a nossa sociedade regrediu.

Justifica-se que existindo capacidade de criar carros eléctricos, que não poluem absolutamente nada, não se invista com grandes quantidades de dinheiro para que essa tecnologia se possa aplicar em todos os carros, e de maneira mais eficiente? Esse é o tipo de tecnologia que merece atenção da nossa parte.

Se não se aplicar dinheiro na procura de alternativas para os combustíveis fósseis, em breve eles vão esgotar-se, e os carros híbridos são apenas uma solução provisória para quando isso acontecer. Tenho a certeza absoluta que os engenheiros, e os cientistas de hoje em dia conseguem criar um carro eléctrico com níveis de rendimento muito altos (comparados com os carros eléctricos existentes), e uma autonomia enorme, mas não me parece que estejam a ser apoiados e financiados devidamente.

E este é apenas um dos muitos exemplos em que a tecnologia e a capacidade existem, mas ao estarmos entregues a uma sociedade tão retrógrada, não as conseguimos pôr em prática mesmo que sejam decisivas em relação à nossa vida no planeta Terra. É necessário ter visão, mas não só para o presente, precisamos de visão principalmente para o nosso futuro.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Selo Dardos

O João António do blogue A Tasca do Tijoao distingue O Escondidinho com o Selo Dardos
«O Prémio Dardos é o reconhecimento dos ideais que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc... que em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, e suas palavras.

Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar o carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor á Web».

Eis as "regras" (para quem não goste de seguir regras, leve apenas o selinho e coloque se gostar)

- Exibir a imagem do Selo no Blog

- Exibir o link do blog que você recebeu a indicação

- Escolher 10, 15 ou 30 blogs para dar a indicação e avisá-los.

E para cumprir as regras, aqui estão blogues que merecem de certeza o Selo Dardos:










quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Pink Floyd - Another Brick in the Wall



Com certeza esta é uma das melhores músicas que já ouvi, um videoclip inovador e uma letra viciante!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Acham que será possível voltar atrás e desfazer todo o mal que foi feito à nossa bela Terra? Acham que nos podemos dar ao luxo de a maltratar sem pensar nas consequências que isso traz, apenas porque existem interesses que favorecem algumas pessoas?

Pois eu acho que não! Acho que temos de parar com este comportamento egoísta e isso tem de começar por algum lado, existem muitas campanhas que nos dizem "Não deixe a torneira aberta enquanto lava os dentes", e coisas desse género. Pois eu acho que não chega! Temos de parar de maltratar a nossa Terra, e não podem ser apenas três ou quatro pessoas que organizam uma manifestação pois esta não é só a Terra dessas três ou quatro pessoas, é a Terra de todos nós, e todos nós nos devemos de revoltar. É necessária uma revolta, uma revolta para a salvar pois sem ela nós não estaríamos aqui, e sem ela não estaremos aqui. Pensem, mas não se limitem a pensar, ajam! Façam algo com significado para um bem geral, não é necessário viver uma vida sem erros, pois todos os cometemos, mas pelo menos uma vez ajam! A nossa Terra encaminha-se para um cruzamento, e esse cruzamento tem dois caminhos a seguir, um deles desce (como a Terra é pesada, este caminho é muito mais fácil certo?) e apresenta uma Terra desfeita pelo egoísmo, lá habitam pessoas sem valor e com mentes distorcidas, esta Terra é negra, e negro é também o seu céu, o outro apresenta uma subida que se estende até onde os olhos conseguem ver (custa subir enquanto se empurra uma Terra velha e pesada certo? Mas somos tantos, podemos todos ajudar!) e uma Terra verdejante e convidativa onde habitam pessoas que sabem que fizeram a escolha correcta e que sabem também que a sua Terra irá viver durante muito tempo (sim, pois a Terra vive e nós somos as suas veias, as suas artérias, e neste momento não estamos a fazer o nosso trabalho e a Terra está a morrer). Cabe-nos a nós empurrar a Terra por um desses caminhos, muitos irão descer mas ao descer estarão a descer para a sua morte, e alguns irão empurrar esta Terra velha e pesada por aquela subida infindável, e esses são os que importam, os que se esforçam para chegar a um objectivo, digo mais, um objectivo global.

Agradeçam todos à Terra, agradeçam por nos trazer até onde estamos agora, e agora digam-lhe que pode parar, porque agora somos nós que a levamos.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Asinoterapia, uma técnica fantástica


A Asinoterapia é uma técnica fantástica que tem como objectivo proporcionar às pessoas com necessidades especiais um espaço e um tempo para que possam estar em contacto com animais (Asininos, burros normais) e possam desenvolver os seus sentidos. Um dos métodos utilizados é a Equitação terapêutica que é indicada para atrasos mentais, autismo, distrofia muscular, epilepsia, etc.
A Equitação terapêutica apela ao desenvolvimento do equilíbrio, força, coordenação, mobilidade, prazer e outros pontos importantes da vida de um indivíduo com necessidades especiais.
Outro método, designado Portage, é (na minha opinião) o mais fascinante pois consiste na colocação da pessoa no dorso do animal e na experimentação de diferentes posições que lhe vão permitir um contacto extremamente íntimo com o mesmo. A pessoa entra num estado de descontracção elevado, quando os utentes têm uma deficiência severa esta técnica permite que estes recebam os estímulos sensorialmente, através do contacto com o corpo do animal, em que o calor emanado funciona como o principal canal de estimulação.

A Asinoterapia é uma das mais fascinantes técnicas de terapia que existem actualmente, e envolvendo o contacto com os animais e um espaço aberto é extremamente agradável, deixo aqui um link que informará melhor os que têm curiosidade em saber como esta técnica é utilizada.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Steamboat Willie, reconhecem?



Walt Disney foi com certeza um dos produtores de "cartoons" mais icónicos de sempre, posso não ter idade suficiente para me lembrar dos primeiros desenhos animados, mas todos conhecemos este...

domingo, 3 de outubro de 2010

Qual o Felídeo mais ameaçado?

Alguém sabe qual é o Felídeo mais ameaçado do mundo, sim, do mundo?
Pois é o nosso próprio Lince Ibérico, um pobre animal em perigo de extinção crítico que durante muitos anos teve muito pouca atenção da nossa parte, mas porquê?

Nas décadas de 40 e 50, a população foi atacada indirectamente devido à campanha do trigo e ao êxodo rural, pois ao serem plantados eucaliptais dizimaram-se áreas de habitat favorável, a mixomatose diminuiu drasticamente a população de coelhos (a presa preferencial do Lince), deixando-o sem alimento. Mas a população de Linces Ibéricos não foi afectada apenas indirectamente, ele foi, e é, caçado intencional e ilegalmente pelo Homem. Grande parte das mortes são devido à caça, mas também através de atropelamentos, muitas estradas foram construídas sem qualquer consideração pelo Lince pois estão perigosamente perto do seu habitat natural.

Em 2002 foi feito um censo ao felídeo, revelando uma população inexistente de Linces Ibéricos em Portugal.
Deixámos chegar o Lince a um ponto de total de extinção, e agora é extremamente difícil reinserir uma população sem qualquer habitat adequado. Tudo depende das pessoas que estão a trabalhar no projecto LIFE - Natureza.

Deixámos esta situação chegar longe demais, mas em vez de utilizarmos o nosso dinheiro para proteger algo que é exclusivamente nosso, utilizamo-lo para comprar submarinos que custam milhões de euros para que não pesquem os peixes que existem, não só aqui, mas em todo o Mundo.